quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011

Cavaco diz que "não foram tomadas as medidas certas no tempo certo"

O candidato presidencial Cavaco Silva, que hoje terá uma agenda intensa entre Seia e Bragança, voltou na terça-feira a pôr em causa a actuação do Governo, dizendo que "não foram tomadas as medidas certas no tempo certo".

É preciso explicar "porque é que não foram tomadas as medidas certas no tempo certo, quais são as finalidades que se pretendem alcançar com os sacrifícios que agora nos são pedidos, qual é a justiça na distribuição dos sacrifícios que agora são impostos aos portugueses", defendeu o candidato presidencial apoiado pelo PSD, CDS-PP e MEP.

"Sei bem que esta crise pode não desaparecer já no próximo ano", declarou Cavaco Silva, num jantar-comício que juntou mais de mil pessoas em Castelo Branco - no mesmo pavilhão onde o primeiro-ministro e secretário-geral do PS, José Sócrates, estará na quinta-feira ao lado de Manuel Alegre, Cavaco Silva.

Cavaco Silva considerou que tem "o conhecimento" e "a experiência que é decisiva para enfrentar situações complexas, mesmo imprevisíveis" que se venham a colocar e ultrapassar a "encruzilhada em que o país se encontra".

"Mas para resolver os problemas do nosso país é também importante que os nossos políticos falem verdade aos portugueses, que lhes expliquem porque chegámos à situação em que nos encontramos", acrescentou.

Durante o dia de terça-feira, Cavaco Silva desvalorizou as afirmações do seu adversário apoiado pelo PS e BE, Manuel Alegre, limitando-se a observar que a sua sugestão para fazer diligências que evitem o recurso a ajuda financeira externa revelava "ignorância".

Hoje, começará o dia em Seia, passando por Almeida, Guarda, Foz Côa, Mirandela, Macedo de Cavaleiros e terminando com mais um jantar-comício, em Bragança.

Nos seus discursos, Cavaco Silva não tem nomeado os seus adversários, falando apenas de forma indireta.

"Este não é um tempo de colocar na Presidência da República alguém que não conhece, não tem experiência dos assuntos que preocupam verdadeiramente Portugal e os portugueses neste momento. Este não é um tempo para aventuras, este não é um tempo para fazer experiências. Os portugueses têm de dizer claramente que no próximo dia 23não querem ser cobaias de uma qualquer ambição", disse, na terça-feira à noite.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
12 | 01 | 2011

1 comentário:

Nuno disse...

Cavaco faz campanha em Braga no próximo Domingo.