terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Alegria ou tristeza?


Olá a todos,
Cá estou eu novamente e, desta vez para, tentar ser "mais residente". Na última semana, o Paulo relembrou-me da minha tarefa e prontamente se predispôs a palpitar sobre o meu futuro tema: "Vais comentar a derrota do Braga?". Sinceramente, até hoje, ainda nem reflecti sobre isso (perdeu?jogou mal?que importa!), tal é o meu estado, para o qual não consigo encontrar um sinónimo que o consiga qualificar...de facto estou triste, estou abismado, estou palpitante...eu sei lá! Aconteceu-me uma coisa terrível, que espero que nunca me volte a suceder. Faleceu um trabalhador (no verdadeiro sentido da palavra) no meu local de trabalho, assistindo eu da primeira fila, aos seus últimos instantes de vida: e como essa palavra é agora para mim tão mais bonita! Quando digo que não quero repetir esta passagem, não é querer voltar as costas a estas situações, mas sim voltar as costas a este sentimento de impotência desmedida, afinal, para quê tanta guerra? Para quê tanta quezília no nosso quotidiano? Para quê tanta discussão? Para quê a lamentação? Para quê tanta mentira, inveja, egoísmo, corrupção, roubo, e os restantes verdadeiros pecados capitais? Afinal, no meio disto tudo, a palavra crise é um fragmento de partícula de gota no oceano! Não vale a pena, o que vale a pena são os momentos de alegria (vejam o rejubilo que foi libertar os mineiros no Chile, com a felicidade do reencontro com o Seu Mundo, com os seus! ), o sentimento terno do vosso lar, o companheirismo do ombro do amigo, a lambidela do vosso gato, a simpatia da senhora da caixa do supermercado, os momentos de celebração...enfim, a Paz com um sorriso! Por isso, amigos, hoje, amanhã e sempre, quando chegarem ao vosso trabalho, ao infantário dos vossos filhos, à pastelaria, irradiem a felicidade que é dizer EU ESTOU VIVO E QUERO SER FELIZ! Esta lição de vida (prefiro chamar-lhe assim), é um momento que vou guardar não para ficar triste, mas sim para potenciar a felicidade no meu mundo e naquilo que me rodeia. Obrigado a ti (amigo), por leres este mensagem, o intuito não foi deprimir-te, mas sim conquistar um amigo dentro de nós próprios, um amigo próximo de ti!

6 comentários:

Rui Moreira disse...

Uma triste, mas grande lição de vida, mas uma lição de vida. E, provavelmente, o melhor texto de sempre deste blogue, que normalmente se debruça sobre muitas das "minudências" que fazem o nosso dia-a-dia :) Viver é a melhro coisa do mundo! Um abraço amigo, força aí nessas grandes experiências de Vida (nas boas e nas más), e... até sábado ;))

Paulo Novais disse...

Concordo. Grande texto.
Mas principalmente, "grande mensagem".
Obrigado Nuno, por nos pores os pés melhor assentes na terra.

Afinal a vida são dois dias!!!

Sérgio Vilan Oliveira disse...

Celebremos a vida, sempre! É nossa obrigação exaltar a nossa condição humana.

Nuno disse...

As questões da vida e de ser feliz são grandes questões. E muitas vezes não lhes é dada a atenção devida.

A crise da sociedade ocidental - Europa (principalmente) e Estados Unidos - é uma crise de valores. Em vez de ser dada atenção à vida e ao ser feliz, passou-se a roubar e a enganar o próximo. O que é preciso é o "lucro máximo"...

De facto a nossa vida passa pelos outros e ser feliz é também fruto da forma como tratamos os outros.

Mais uma nota de optimismo: está ao nosso alcance ser feliz e ter uma vida realizada!

Ramiro Brito disse...

fabuloso dj!!! grande surpresa o teu post:):):) sê bem vindo

Carina disse...

Tenho orgulho nestas palavras e neste homem!!!! :)